Notícias

DIREITOS HUMANOS É TEMA DE CURSO PARA AGENTES SOCIAIS DE QUATRO MUNICÍPIOS EM ITAPARICA
Data de publicação: 17-05-2019

DIREITOS HUMANOS É TEMA DE CURSO PARA AGENTES SOCIAIS DE QUATRO MUNICÍPIOS EM ITAPARICA

 

"Não podemos pensar em democracia sem direitos humanos e vice versa e trazer a mediação para esse entendimento, compondo uma tríade, é compreender também que podemos pensar em outro modelo, outro formato de sociedade que não utilize a violência como método principal da resolução dos seus conflitos” afirmou o Secretário de Educação de Itaparica, Matheus Albergaria, que representou a prefeita Marlylda Barbuda na abertura, dia 16 de maio, do curso Educação em Direitos Humanos e Mediação de Conflitos, realizada no Centro de Cultura e Ética.

 

O secretário ressaltou também que no momento atual do Brasil é imprescindível viabilizarmos estratégias de educação para os direitos que contemplem olhares e públicos os mais diversos possíveis de maneira a sensibilizar os sujeitos envolvidos para replicar os conhecimentos compartilhados na construção de uma cultura de paz e respeito aos direitos. Na avaliação de Denise Meneses, Assessora Jurídica da Secretaria de Assistência Social de Itaparica, o curso proporciona "uma oportunidade, um espaço de educação permanente, de troca de saberes que nos possibilita rever e aprimorar nossa prática/atuação”.

 

Já a Doutora em Direito e Presidente do Juspopuli Escritório de Direitos Humanos, Maria Lomanto afirmou, durante o Painel Democracia e Direitos Humanos, que a Educação não é privilégio de poucos mas a essência da possibilidade de tornar iguais pessoas diferentes. O exercício da cidadania em sua plenitude, valor que integra os direitos sociais, é fundamental ao desenvolvimento humano. Marília Lomanto lembrou que "a educação está positivada na Constituição Federal de 1988, mas isso não basta, vivenciamos momento de grave violação a esse direito e sua efetivação depende da luta das organizações e dos movimentos da sociedade”.

Relações interpessoais

Na tarde do dia 16, com a facilitadora Miriã Caetano, advogada e especialista em Gestão Pública, os agentes sociais participantes do curso tiveram contato com conteúdo fundamental para o desenvolvimento de suas atividades: as relações interpessoais, percepção de si e do outro e motivação. A facilitadora ressaltou que todo grupo humano que atua em conjunto, que trabalha, que milita, que luta, que aprende, vive relações interiores subjetivas. Os seus membros tem opiniões, sentimentos, sensações, intuições a respeito do grupo, da realidade, de algum tema específico."Nos grupos cria-se vínculos, aceitando que temos semelhanças, mas que temos diferenças e é uma aprendizagem difícil e enriquecedora aceitar as semelhanças e as diferenças que temos com os outros”, afirmou Miriã Caetano.

Objetivo

O objetivo do curso é contribuir para a formação e sensibilização de 60 agentes sociais dos Municípios de Vera Cruz, Jaguaripe, Salinas da Margarida e em Itaparica, onde serão realizados os encontros até o mês de setembro. Os participantes são agentes públicos - das áreas de Educação, Saúde, Assistência Social, Guarda Municipal, Polícia Militar, sindicalistas das áreas urbana e rural, educadores e líderes comunitários.

Dividido em cinco módulos, com 88 horas/aula, de maio a setembro, o curso possibilitará a discussão da combinação de valores, princípios e práticas destinadas a construir relações de humanidade e solidariedade fortalecendo a cidadania. Também serão oferecidos conteúdos sobre Mediação Popular de Conflitos, os direitos específicos de crianças e adolescentes, idosos, pessoa com deficiência, raça e etnia, gênero e orientação sexual e Sistema de Garantia de Direitos.

 

Por contemplar participantes de diferentes municípios, geograficamente próximos, o curso possibilitará a formação de redes de solidariedade e serviços, potencializando os mecanismos municipais e territoriais de conhecimento e efetivação dos direitos. Essa atividade integra Termo de Fomento assinado entre a Secretaria Nacional de Proteção Global do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos e o Juspopuli, com recurso de Emenda Parlamentar apresentada pela então senadora Lídice da Mata e conta com a parceria da Prefeitura Municipal de Itaparica. Dentre as atividades previstas no projeto estão um curso semelhante em Irecê, dois cursos de 40 horas e quatro oficinas pedagógicas de 8 horas cada em Salvador.

 

Sobre o Juspopuli

 

Fundado em 2001, como associação civil sem fins lucrativos, o Juspopuli tem como estratégias de atuação a educação para os direitos, e a difusão da mediação como forma de prevenção de violência e construção de convivências sustentáveis. Tem realizado cursos e oficinas sobre direitos, mediação de conflitos e outros temas de cidadania, alcançando, diretamente, mais de 12 mil pessoas, dentre lideranças comunitárias, educadores/as, técnicos e conselheiros/as da área social, policiais e agentes de trânsito.

 

Por 16 anos atuou em bairros populares de Salvador e outros municípios, em especial o de Feira de Santana, em parceria com a Universidade Estadual de Feira de Santana- UEFS, na prestação gratuita de serviços de orientação sobre direitos e mediação popular de conflitos, acumulando prática e conhecimento técnico e científico, que lhe confere legitimidade para a socialização desta experiência.

 

O Juspopuli integra o Pacto Estadual pelo Semiárido e foi parceiro executor do Selo UNICEF Município Aprovado por 04 edições. E a partir das constantes relações com os municípios, constatou a grande carência de oportunidades de formação para os conselheiros municipais de direitos, conselheiros tutelares e outros agentes sociais interessados na construção da cultura de direitos humanos e na efetivação desses direitos.


Rua Desembargador Polibio Mendes da Silva, Jaguaribe Mall, 159, salas 11 e 12, Piata. Salvador - BA
Tel. (71) 3367-5048 - Telefax: (71) 3367-4944 - CEP: 41.650-480, E-mail: juspopuli@juspopuli.org.br
Webmail   Login   Recuperar senha